“O Livro Negro Da Corrupção

"O Livro Negro Da Corrupção 1

Não tem uma redação neutro. Por gentileza, discute este dificuldade em conversa. Carece de referências ou fontes que apareçam numa referência respeitável. 1946, o governo de Juan Domingo Perón, depois da nacionalização da União Telefônica, principal corporação do segmento no Brasil. Conforme estava calculado, o Estado manteria apenas 51% da nova empresa, no tempo em que que 49% restante estaria em mãos privadas.

Por esta explicação, o nome da nova sociedade foi Empresa Mista Telefónica Argentina (EMTA). Em 1948, o Governo da rebatiza como Telefones do Estado. Em 1956, a corporação mudou de nome passando a chamar-ENTel, denominação que manteve até sua dissolução, em 1990, salvo por um passageiro período na década de 1960 que se chamou Organização Nacional de Celulares.

  • Vote e comente: você Foi justa a decisão
  • Van der Donk
  • UNE-Em-ISO 14001-Sistemas de gestão Ambiental
  • 3 Características das empresas de seguros
  • Publish-subscribe: serviço pra disseminação de eventos

Em 1990, o governo de Carlos Menem se dispôs a tua privatização total. A partir daí, a prestação de serviços ficou em mãos de Telecom (Região Norte) e Telefônica (Localidade Sul). O quatro de janeiro de 1881, foi instalado o primeiro telefone do estado, pela moradia do logo ministro de Relações Exteriores, Bernardo de Irigoyen. Em 1882, a Société du Pantéléphone L. De Locht et Cie e a Companhia Telefônica do Rio da Prata, e se fundiu.

Em 1889, se estendeu, a partir do Rio da Prata, um cabo telefónico subfluvial entre as cidades de Punta Lara (Argentina) e Colônia de Sacramento (Uruguai), sendo esta a primeira ligação telefônica subaquática do universo. Os anos 20 marcou o início da militância sindical no setor de telefonia, com a geração dos primeiros sindicatos para combater o férreo controle patronal. A primeira central automática Strowger se instalou na cidade de Córdoba, em 1914, com um computador pra 2000 linhas.

Para o ano de 1925, da República Argentina, imediatamente possuía 45% de todas as linhas que dispunha américa Latina. A partir da nacionalização dos telefones, o Estado deixaria de firmar-se apenas ao ordenamento e controle das organizações telefônicas, passando a meter-se pela prestação e venda de serviços.

O anúncio foi feita em fins de agosto de 1946 e, efetivamente, o três de setembro de se concretizou a operação de compra ad referendo do Congresso Nacional. O convênio previa o pagamento de noventa e cinco milhões de dólares pra ITT por sua filial argentina.