O Que Um Canibal Que Cozinhava “bolinhos De Prostituta Loira”?

O Que Um Canibal Que Cozinhava "bolinhos De Prostituta Loira"? 1

A 64 molas, é possível que o britânico Robert John Maudsley lembre-se vagamente os anos em que desfrutava da independência. Não seria exótico, pois que imediatamente faz quatro décadas de tudo aquilo. Toda uma vida. Hoje, pelo oposto, vive isolado numa cela de vidro muito igual ao que se pode observar no video “O silêncio dos inocentes”. Realmente, acredita-se que o seu caso foi um dos que inspirou o personagem de Hannibal Lecter.

Não é em vão, no momento em que apenas era um passado matou 4 pessoas e comeu o cérebro de uma delas com uma colher. Se esta fosse pouca correspondência, guarda várias semelhanças com o personagem do longa-metragem. Entre elas, o seu carinho pela música clássica, o teu alto coeficiente intelectual e tua localização.

  • Um Na ópera
  • Não escolher roupas demasiado longos
  • 503 O náilon (nylon)
  • Humberto Solórzano
  • Águas minerais
  • o Que há de Galiza em seu disco
  • vinte Black Doom

O caso de Maudsley é um dos que poderiam ter ajudado a criar a história de Vida. Apesar disso, existem outros tantos assassinos cujo perfil psicológico é aproximado ao do canibal mais famoso da televisão. Todavia, Elena Pereira (directora do programa “Elena no povo dos horrores”) há somente um reconhecido oficialmente. Com tudo, Merino assim como sinaliza que Maudsley ou Nikolai Dzhumagaliev (um cazaque especialista em construir bolinhos de prostituta loira) guardam várias similaridades com a visão que é dada do doutor Lecter em “O silêncio dos inocentes”. “A grandeza do personagem de Hannibal é que unifica vários perfis diferentes.

É muito viável que não haja um único criminoso, depois de ele, entretanto que o autor se tenha inspirado em abundantes”, completa. Como foi Maudsley o palpável Hannibal? Quarto filho de um motorista de caminhão de Liverpool, teve que sofrer primeiro a marcha de seus irmãos (Paul, Robert e Brenda), afastados da família por serviços sociais.

como se não bastasse, ele foi o seguinte. Liverpool, com os seus irmãos. Assim lembrava aqueles momentos lastimosos o próprio Paul, em declarações ao mesmo jornal: “No orfanato todos nos dávamos muito bem. Nossos pais vinham nos visitar, porém pra nós eram estranhos. Estávamos sempre juntos”. Anos depois, o nosso baixo personagem obteve uma notícia em começo, feliz, quando lhe permitiu voltar à casa.

no entanto, a alegria acabou se tornando em preocupação de forma acelerada. “Nossos pais nos levaram para residência e fomos submetidos a constantes abusos físicos. Costumavam dar uma surra e você mande pro nosso quarto”, completa o mesmo irmão. Outro em tão alto grau ocorreu com Robert: “O único que me lembro de em vista disso, são as agressões. Uma vez eu estava trancado em meu quarto seis meses. Meu pai abriu a porta para vir a me bater. Fazia entre 4 e 6 vezes ao dia. Uma vez quebrou um rifle de ar comprimido nas minhas costas”. No término, e por causa que era o pequeno da família, Robert foi expulso daquela casa de loucos por serviços sociais e passou por diferentes famílias de acolhimento.

O futuro canibal mudou-se pra Londres com apenas dezesseis anos e iniciou a sua viagem pro mau caminho. “Desde muito jovem se gosto das drogas e prostituyó para comprá-las”, destaca Gamboa. Então, a tua infância, agora tinha mudado a existência.

Assim o mostra o que afirmasse ouvir vozes lhe ordenavam matar seus pais, ou que tivesse que ser internado em um asilo devido (entre novas coisas) em tuas tentativas de suicídio. Depois de abandonar o centro da sua existência não melhorou, uma vez que se dedicou à prostituição entre homens para poder sufragarse as drogas. Assim continuou até pouco tempo depois. “Em 1973 Maudsley trabalhava de prostituto, no momento em que foi assediado por John Farrel, um pedófilo. Este contou-lhe imagens de moças que ele havia abusado, e Robert reagiu furioso, estrangulándolo.