Complexo De Édipo

Complexo De Édipo 1

Em psicanálise, o complexo de Édipo, às vezes assim como denominado combate edípico, diz-se a um conjunto complexo de emoções e sentimentos infantis caracterizados na presença simultânea e ambivalente de desejos amorosos e hostis pra com os pais. Trata-Se de um conceito central da suposição psicanalítica de Sigmund Freud, exposto pela primeira vez dentro dos marcos de tua primeira tópica.

O complexo de Édipo é a representação inconsciente por meio da qual se exprime o desejo sexual ou amoroso da criança”. Complexo de Édipo afirmativo: ódio e rivalidade para com o progenitor do mesmo sexo e atração pro progenitor do sexo oposto. Complexo de Édipo negativo: carinho pelo progenitor do mesmo sexo, do mesmo jeito a rivalidade e rejeição para com o progenitor do sexo oposto.

A hipótese de Freud distingue o desenvolvimento psicossexual de meninas de três etapas principais: a oral, a anal e fálica. O complexo de Édipo é considerado a pedra angular da hipótese de Freud. Então, o complexo de Édipo é uma idéia tão central pra psicanálise, como o é a universalidade da restrição do incesto, e constitui um correlato do complexo de castração. A história da psicanálise em teu conjunto está fortemente ligada à história do complexo de Édipo e as conversas em volta do teu sentido.

O conceito assim como tem sido desde a tua origem a diversas críticas, em tal grau internas, entre as diferentes escolas de psicanálise, como em outras disciplinas e correntes teóricas. O termo complexo (do latim complectere, abraçar, abraçar; particípio ótimo: complexum) é um termo que indica um conjunto que totaliza, engloba ou abrange uma série de partes individuais (atos, idéias, fenômenos, processos).

  • 12 de junho – aprova a primeira Constituição Política do Estado do Salvador.[2]
  • Velocidade do movimento da geleira
  • 1 Artigos (instituídos)
  • 047 hab. com direito a voto (27 vereadores)
  • REDIRECIONAMENTO [[4]]

É usado de forma geral em psicologia para indicar a integração de vivências ou experiências individuais em uma experiência de conjunto ou totalizadora. A introdução e o exercício original do termo é atribuída a Carl Gustav Jung. Carl G. Jung montou de forma análoga, o “complexo de Electra” falando-o como a atração sexual inconsciente que sente uma guria pra seu pai.

Na teoria freudiana do complexo de Édipo é um fenômeno que aparece no desenvolvimento de todos os seres humanos, em tão alto grau no sexo masculino como no feminino. Isso não significa, no entanto, que tenha como expansão em ambos os sexos: para Freud, o complexo de Édipo feminino não é simétrico ao da criança.

trata-Se bem como de um fenômeno universal, que acontece independentemente de fatores como a educação, a pertença a uma etnia ou cultura. A problemática edípica precisa ser cancelada (não necessariamente o mecanismo psíquico da repressão) pra proporcionar o desenvolvimento da sexualidade da criança.

O interesse da criança pelos genitais desaparece ao longo do período de latência e reaparece com a puberdade. Quando você vê a ausência numa garota, adverte da escolha de castração, mas a ameaça adquire teu efeito logo depois (nachträglich, no original em alemão).

passa a ter a posse do equipamento pela identificação, introyecta à autoridade do pai e se forma o núcleo do Supereu, que severamente proíbe o incesto e o regresso das investiduras de instrumento. As aspirações libidinales são desexualizadas e sublimadas por uma cota, e reguladas em tuas metas e mudadas em moções de ternura, por outra porção.

Com isso se dá início ao tempo de latência. Em rigor, o complexo de Édipo não é instrumento de repressão, no entanto que opera de cancelamento e destruição do complexo. A menina percebe, primeiramente, que o clitóris é um pênis nanico e que prontamente vai amadurecer, mas, ao advertir que as mulheres adultas não possuem pênis, perceba que vem sendo castrada.